Polícia para quem precisa

Polícia transporta as doações de cantores Segundo Lima Castro, a decisão partiu do comandante geral da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte, e não atrapalha em nada o trabalho de policiamento. Para o comandante do 16º BPM (Olaria), coronel Macedo, “abolir o almoço foi uma forma de ajudar a quem precisa”.

Também por determinação do comandante geral da PM, os 41 batalhões do estado do Rio estão recebendo doações para as vítimas. A iniciativa faz parte de uma parceria entre a PM e a ONG Viva Rio, que já havia ocorrido no ano passado para auxiliar as vítimas dos deslizamentos no Morro do Bumba, em Niterói.

– De sexta-feira até ontem já havíamos enviado para a Região Serrana 120 caminhões lotados de mantimentos. E ainda vai sair mais um hoje – lembrou o coronel Lima Castro. – Levando-se em consideração que cada caminhão carrega 10 toneladas, isso dá um total da 1,2 mil toneladas de doações.

Para Lima Castro, o volume tende a aumentar nos próximos dias.

– O cantor Daniel enviará, de São Paulo, um caminhão com 240 colchonetes. O Luan Santana, outro cantor, também nos pediu para transportarmos uma grande carga de donativos.

Fora a Ceasa, que doará outro caminhão cheio de alimentos – comentou.

Além da ajuda material, a PM tem fornecido às vítimas das enchentes na serra um suporte para prestar serviços médicos e de segurança.

– Mandamos policiais do Bope para atuar nas cidades atingidas, e eles já fizeram cerca de 700 trabalhos de resgate de vítimas – disse Lima Castro. – Além disso, temos lá 520 homens da PM, 400 deles escalados para reforçar a segurança, evitando qualquer onda de arrastões ou saques.

Cavalos Segundo Lima Castro, nove cavalos do Regimento de Polícia Montada foram enviados para a Região Serrana para chegarem a locais onde não se vai de carro ou a pé.

A Polícia Militar também se mobilizou para prestar atendimento médico às vítimas.

– Enviamos 30 médicos e assistentes sociais da corporação que trabalham nas cidades atingidas há quase uma semana – informou Lima Castro.

Segundo o porta-voz da PM, ajudar as vítimas é um dever da corporação.

– Desde que o coronel Mário Sérgio assumiu o comando, implantou essa filosofia de mudar a imagem da PM, e vamos continuar nessa linha.