Os percalços de uma animação de propaganda

M ariana Caltabiano surpreendeu com o divertido documentário Histórias reais de um mentiroso , centrado em Marcelo Rocha, que enganou muita gente ao se fazer passar pelo filho do dono da Gol, caso também resgatado na ficção Vi p s , de Toniko Melo, ambos exibidos na última edição do Festival do Rio. A inserção de recursos de animação se impôs como grande charme do filme de Mariana. Por isto, as expectativas em relação a Brasil animado eram consideráveis. Infelizmente, os atrativos terminam na exaltação do posto de “primeiro longa-metragem de animação brasileiro em 3D”.

Brasil animado surge com aparência de institucional, de trabalho feito sob encomenda para divulgar as qualidades de um país diversificado como o Brasil. Os per sonagens Stress e Relax, opostos como os nomes anunciam, percorrem de modo desordenado o país, de Norte a Sul, atrás de uma árvore, o “grande Jequitibá-rosa”, que, claro, só irão encontrar no final da travessia e onde menos esperam. O roteiro apressado propagandeia os pontos turísticos do país, e o contraste entre os protagonistas é reiterado durante toda a projeção. Nem a inserção de cenas reais torna o filme mais interessante. O resultado destoa da qualidade das animações exibidas nos últimos tempos, em 3D ou em moldes mais tradicionais.