Pag. 20 - A república das armas

Lobby das armas é forte e nada deve mudar Para o cientista político da UNB David Fleischer, mexer na emenda que regula o direito de se armar nos EUA seria uma ação muito difícil. De acordo com ele, o Congresso tenta fazer pequenas intervenções que não necessitam do aval dos estados da federação.

– Para mexer com a Constituição, cerca de 75% dos estados têm que aprovar, e isso vai ser muito difícil – comenta Fleischer, que é americano naturalizado brasileiro.

Já o professor de relações internacionais da UFF Thomas Heye acredita que, na política doméstica americana, a Associação Nacional de Armas de Fogo é extremamente poderosa. Por esse motivo, afirma Heye, um parlamentar que tenta restringir o acesso a armanentos comete “suicídio político”.

– O lobby das armas é um instrumento muito poderoso.

Além disso, casos como esse atentado são esporádicos e não causam o horror na sociedade para que se faça uma mudança – argumenta Heye, para quem o episódio vai ser explorado pelo presidente Barack Obama contra o Tea Party na eleição de 2012.

As leis do Arizona se destacam entre as mais maleáveis do país. No ano passado, o estado se tornou o terceiro a não exigir licença para porte de armas. Ainda foi aprovada uma medida que permite que as pessoas levem seus armamentos para o trabalho.

Atirador não tem par tido Descrito por colegas de classe como “perturbado”, Loughner, ao contrário do que muitos ana listas e políticos desconfiavam, não tem nenhuma filiação partidária. De acordo com a rede de notícias CNN, o jovem se declara “independente” nos dois registros eleitorais obtidos pela emissora. Os documentos apontam que Loughner votou nas eleições de 2006 e 2008, mas não compareceu no pleito do ano passado.

Autoridades informaram que o Departamento de Segurança Interna já investigava denúncias de que o jovem tinha ligações com grupos como o American Renaissance, que defende a supremacia branca, contrário a imigrantes e antissemita. A associação justificaria o atentado à deputada, que é filha de judeus e contra a nova lei de imigração do Arizona.

Loughner teve a fiança negada e pode ser condenado a pena de morte ou prisão perpétua pelo assassinato do juiz federal John Roll.

De acordo com o porta-voz do University Medical Center, na cidade de Tucson, no Arizona, a Gabrielle Giffords está em condição crítica e sedada, após ter passado por uma cirurgia de duas horas.