Dirigente da OEA defende eleições na Nicarágua

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, defendeu ontem a realização de eleições na Nicarágua como forma de “redemocratizar” o país centro-americano, que enfrenta uma grave crise política há quatro meses. 

A proposta, que é defendida por setores da oposição, foi rejeitada de forma contundente pelo presidente nicaraguense, Daniel Ortega, cujo mandato termina apenas em 2021. 

Para Almagro, que também é ex-chanceler do Uruguai, a Nicarágua é “vítima da violência, da repressão e de assassinatos, cujas consequências foram absolutamente nefastas para o país”.