Mutilados de guerra iniciam uma marcha pela paz no Afeganistão

Cerca de vinte afegãos mutilados, alguns em cadeiras de rodas, iniciaram nesta terça-feira uma marcha de centenas de quilômetros pelo Afeganistão para pedir o fim da guerra na qual perderam partes de seus corpos.

Esta caminhada pacifista começou na cidade de Herat, oeste, e concluirá na capital Cabul, na outra ponta do país.

"Começamos esta marcha de mais de mil quilômetros até Cabul para dizer para o mundo que detenham esta guerra", declarou Mohammad Musa, de 40 anos, e que perdeu as duas pernas na explosão de uma mina.

Abubaker Qaderi, mutilado da perna esquerda, pede um cessar-fogo permanente na segunda guerra do Afeganistão, que começou em 2001 com a intervenção dos Estados Unidos.

"Para o bem da próxima geração, é preciso parar de luitar", afirmou Khan Zai falando à AFP.

Esta marcha tem início depois que há algumas semana outro grupo pacifista percorreu 700 km de Lashkar Gah até Cabul.

A marcha de Lashkar Gah, uma das primeias deste tipo no país, chegou à capital afegã em 18 de junho, no mesmo dia em que os talibãs aceitaram um cessar-fogo de três dias.

O governo afegão poderá declarar uma nova trégua no final de agosto, coincidindo com a celebração do Aid el Kebir (a festa do sacrifício).

No entanto, os talibãs continuam ignorando os pedidos dos manifestantes e do governo por um acordo de paz, já que preferem discutir diretamente com os Estados Unidos, apesar de Washington se opor a isso.

str-emh-sjd/amj/st/sm/eb/age/cn