Quase 500 imigrantes ficam sem rumo no Mediterrâneo, em disputa entre Roma e Malta

Uma nova disputa migratória teve início entre Itália e Malta depois de 450 imigrantes à deriva serem levados, neste sábado, a duas embarcações militares em águas italianas, ao mesmo tempo em que as autoridades italianas e maltesas discutem sobre o destino dessas pessoas.

O ministro do interior italiano, Matteo Salvini, garantiu que as duas embarcações receberam a ordem de "se dirigirem para o sul, Líbia ou Malta", durante um pronunciamento ao lado do chefe de governo, Giuseppe Conte.

"Precisamos de um ato de justiça, respeito e valentia para lutar contra os traficantes de pessoas e provocar uma intervenção europeia", afirmou Salvini, líder da Liga, de ultra-direita, segundo declarações citadas por agências.

Segundo fontes da Presidência do Conselho de ministros, citadas pela imprensa italiana, Conte pretende reclamar a outros países da UE a redistribuição imediata desses imigrantes, cujo desembarque na Itália está proibido.

Após ter deixado a Líbia, um barco de madeira com 450 imigrantes foi localizado nesta sexta-feira em águas internacionais, mas na zona de intervenção maltesa.

Através de uma troca de mensagens e ligações, Roma tentou que as autoridades maltesas se responsabilizassem por esses imigrantes nesta sexta-feira.

La Valeta, contudo, respondeu que a embarcação estava mais próxima da ilha italiana de Lampedusa e que a maioria de seus tripulantes preferia chegar à costa italiana.

Neste sábado, os imigrantes foram levados a outros dois navios, e oito deles puderam desembarcar em Lampedusa por motivos médicos.

De acordo com fontes italianas, alguns imigrantes se lançaram ao mar quando viram dois navios, um italiano e outro britânico, da Frontex, o programa europeu de controle das fronteiras. Isso forçou as embarcações a resgatá-los.

O futuro dos imigrantes ainda é incerto, mas a situação é parecida com a do barco de resgate alemão "Lifeline" que, com 233 imigrantes a bordo, no fim de junho, teve que esperar uma semana em alto mar antes de a disputa entre Roma e La Valeta ser concluídos e eles serem autorizados a desembarcar em Malta.

ljm/neo/eb/age/ll