Irã estuda alternativas para escapar de sanções dos EUA

Na tentativa de escapar das sanções comerciais e econômicas ao Irã pelo governo norte-americano, o primeiro vice-presidente iraniano, Es'haq Jahangiri, afirmou que o governo estuda promover exportações de petróleo pelo setor privado. A proposta analisada inclui oferecer o produto bruto para o mercado acionário doméstico, permitindo que o setor compre e exporte petróleo de forma transparente.

No começo de maio, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou o fim do acordo nuclear com o Irã, negociado pelo antecessor Barack Obama. A partir de então, avisou que iria impor uma série de sanções aos iranianos, além das exportações de petróleo.

O conjunto de medidas envolve limites para a compra de dólares norte-americanos, negociações prévias de metal, alumínio, aço e carvão e no setor automotivo. Também há restrições para as aeronaves comerciais de passageiros, peças e serviços e licenças gerais e autorizações relacionadas a exportações do setor aéreo.

Ontem (30), o ministro do Petróleo do Irã, Bijan Zanganeh, disse que há um plano em desenvolvimento para tornar o país imune das sanções norte-americanas.

De acordo com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), o Irã é o terceiro maior produtor do mundo, com produção de aproximada 3,8 milhões de barris por dia. China, Índia, Japão e Coreia do Sul são os principais importadores do produto do Irã.

*Com informações da PressTV, emissora pública de televisão do Irã.