EUA: protestos contra a linha dura anti-imigração de Trump

Manifestações contra a política de imigração de linha dura do presidente Donald Trump estão programadas para este sábado nos Estados Unidos, à medida que aumentam os pedidos dos ativistas pelo fim da polícia migratória, a ICE (Immigration and Customs Enforcement), e a reunião das famílias separadas.

"Estamos protestando em Washington DC e em todo o país", afirmaram os organizadores da manifestação "Families Belong Together" (As famílias devem ficar juntas) em seu site.

O protesto em Washington começará em Lafayette Square, justo diante da Casa Branca, antes de seguir até o Capitólio.

Em uma tentativa de deter o fluxo de dezenas de milhares de migrantes na fronteira sul dos Estados Unidos, Trump ordenou em maio a prisão dos adultos que entram no país de modo ilegal, incluindo aqueles que solicitam asilo.

Muitos dos que tentam atravessar a fronteira entre Estados Unidos e México são pessoas pobres que fogem das violência das gangues e de outros problemas na América Central.

Como resultado da repressão ordenada por Trump, centenas de crianças foram separadas de suas famílias e mantidas em jaulas, uma prática que provocou indignação nacional e mundial.

Na semana passada, Trump assinou uma ordem para acabar com a separação das famílias, mas advogados especializados em imigração dizem que o processo de reunião será longo e caótico.

Quase 2.000 crianças foram separadas de seus pais, segundo números oficiais divulgados no fim de semana passado.

Mais de 500 mulheres, incluindo uma congressista, foram detidas na quinta-feira no complexo do Capitólio durante um protesto contra a política migratória de Trump.

Os organizadores esperam que o protesto de sábado reúna pelo menos 50.000 pessoas em Washington.

it/bbk/gv/ll/fp