Doze locais cristãos japoneses designados patrimônio da humanidade

Doze locais cristãos na região sul do Japão, onde os fiéis foram perseguidos no passado, foram declarados patrimônio da humanidade, anunciou neste sábado a Unesco.

Entre os locais está a catedral católica de Oura, em Nagasaki, dedicada a 26 cristãos executados há mais de quatro séculos.

O cristianismo no Japão remonta a 1549, quando o missionário jesuíta europeu Francisco Javier chegou ao país com outros dois companheiros e começou a pregar sua mensagem no oeste do país.

Sua influência crescente gerou preocupação entre os comandantes militares do Japão. A perseguição dos cristãos começou a partir de 1589.

Os cristãos homenageados na catedral de Oura - 20 japoneses e seis estrangeiros - foram executados em Nagasaki em 1597, quando a perseguição aumentou.

De estilo gótico, a catedral de Oura, construída em 1864 por padres franceses, é o edifício cristão mais antigo do Japão.

O governo a designou patrimônio nacional em 1933 e a igreja foi danificada pela explosão da bomba atômica lançada pelos Estados Unidos sobre Nagasaki em 9 de agosto de 1945.

Entre os outros locais que entraram para a lista de patrimônio da humanidade está a localidade de Sakitsu, em Amakusa, na região de Kumamoto (sudoeste), onde os cristãos praticaram sua fé em sigilo durante a era Edo, de 1603 a 1868.

nf/sah/amu/sd/sg/es/eg/fp