Jordânia fecha fronteira para refugiados sírios

A Jordânia fechou sua fronteira com a Síria, impedindo milhares de pessoas que fogem da ofensiva de Damasco em Daraa de entrar no país.

A cidade fica no extremo-sul da Síria e é controlada há anos por rebeldes, mas está sob assédio das forças de Bashar al Assad, com apoio da Rússia e do grupo xiita libanês Hezbollah.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), pelo menos 50 mil pessoas fugiram de Daraa e Qunaytra, vizinha às Colinas de Golã, na última semana.

A Jordânia diz que sua capacidade de acolhimento chegou ao limite - o país abriga 734,8 mil deslocados externos, de acordo com o último relatório da agência da ONU para refugiados (Acnur), o que representa quase 8% de sua população.

No mundo inteiro, apenas Líbano e Nauru abrigam mais refugiados em termos proporcionais. A guerra na Síria começou em 2011 e contabiliza mais de 400 mil mortos.