Papa nomeia 14 cardeais e pede fim de inveja e intrigas

O papa Francisco nomeou quinta-feira (28) 14 novos cardeais, sendo 11 com poder de votação em um próximo conclave. "Rezemos pelos novos cardeais para que me ajudem no ministério de bispo de Roma e pelo bem de todo o povo de Deus", escreveu o Pontífice em um tuíte. 

Dos 14 cardeais, 11 são eleitores, ou sejam, votam no próximo conclave, e três têm mais de 80 anos, sem direito ao voto.    

Os novos cardeais são: Louis Raphael I Sako, Luis Ladaria, Angelo De Donatis, Giovanni Angelo Becciu, Konrad Krajewski, Joseph Coutts, Antonio dos Santos Marto, Pedro Barreto, Desiré Tsara Hazana, Giuseppe Petrocchi e Thomas Aquinas Manyo.    

Os três cardeais com mais de 80 anos são: Toribio Ticona Porco, Aquilino Bocos Merino e Sergio Obeso Rivera. Há religiosos da Itália, Portugal, Peru, Paquistão, México, Bolívia, Madagascar, Iraque e Espanha. O Consistório Ordinário ocorreu na Basílica de São Pedro, no Vaticano. O vice-premier e ministro do Desenvolvimento Econômico e Políticas Públicas, Luigi di Maio, liderou a comissão italiana na missa.    

Durante a celebração, o Papa fez uma crítica contra a "inveja" e "intrigas", as quais "geram uma lógica que não apenas corrói as reações, mas também gera discussões inúteis". "Esta é a mais alta honra que vocês podem obter. A maior promoção que pode ser conferida. Servir Cristo no povo fiel de Deus, no esquecido, no preso, no dependente químico, no abandonado, em pessoas concretas com suas esperanças e histórias, com suas desilusões, sofrimentos e feridos", disse Francisco.   

 "Nenhum de nós deve se sentir superior a alguém. Nenhum de nós deve olhar o outro de cima para baixo. Podemos olhar alguém assim só quando ajudamos uma pessoa a se levantar", comentou.