Mais de 200 mortos em confrontos no centro da Nigéria

Mais de 200 pessoas morreram em confrontos entre comunidades rurais no estado de Plateau, centro da Nigéria, informou o governador da região.

Na terça-feira, após uma reunião com o presidente nigeriano Muhammadu Buhari em Jos, capital de Plateau, o governador Simon Lalong afirmou que a violência provocou "a dolorosa perda de mais de 200 pessoas".

De acordo com a polícia, que acusa grupos de fazendeiros nômades pela violência, morreram pelo menos 86 pessoas. Fontes locais, no entanto, citam mais de 100 mortos.

A principal associação de fazendeiros nômades nega o envolvimento de sua comunidade nas mortes e afirma que, ao contrário, os integrantes de seu grupo foram atacados nos últimos meses.

Algumas fontes afirmam que a violência teve início como uma represália a membros da etnia Berom que teriam matado cinco integrantes da etnia Fulani. Este é um novo caso após meses de violência nesta região da Nigéria conhecida como "Middle Belt".

A violência tem sua origem na luta por acesso à terra entre pastores nômades e agricultores sedentários, mas foi ampliada para confrontos entre muçulmanos e cristãos.

O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, chegou ao poder em 2015 com a promessa de lutar contra a insegurança, sobretudo a do grupo islamita Boko Haram, que provocou quase 20.000 mortes desde 2009.

str-abu-phz/sf/pc/ra/fp