China denuncia 'chantagem' econômica de Trump e ameaça retaliar

A China denunciou nesta terça-feira a "chantagem" dos Estados Unidos traduzida nas ameaças do presidente americano, Donald Trump, de impor novas tarifas contra seus produtos, e ameaçou adotar represálias caso Washington siga adiante com seu propósito.

"Se os Estados Unidos perderem o bom senso e publicarem uma lista [de produtos submetidos a tarifas], a China será obrigada a adotar uma mescla de medidas quantitativas e qualitativas sob a forma de vigorosas represálias", declarou o ministério do Comércio em Pequim.

Na segunda-feira, o presidente americano, Donald Trump, revelou que analisa impor uma tarifa de 10% sobre bens chineses totalizando 200 bilhões de dólares adicionais, em resposta às medidas de Pequim contra decisões dos Estados Unidos na área do comércio.

"Novas ações deverão ser adotadas para incentivar a China a mudar suas práticas desleais, abrir seu mercado aos bens dos Estados Unidos e admitir uma relação comercial mais equilibrada", disse Trump.

"Aparentemente, a China não tem qualquer intenção de mudar suas práticas ilegais de aquisição de propriedade intelectual e tecnologia americanas", pelo contrário, "ameaça as empresas, trabalhadores e agricultores dos Estados Unidos."

"A relação comercial entre Estados Unidos e China deveria ser mais equilibrada", insistiu Trump, que fixou como meta reduzir em 200 bilhões de dólares seu déficit comercial com o gigante asiático.

Na sexta-feira, a Casa Branca anunciou a imposição de tarifas de 25% sobre bens importados da China totalizando 50 bilhões de dólares, para compensar o suposto roubo de propriedade intelectual e tecnologia por parte de Pequim.

O governo chinês reagiu prometendo medidas equivalentes contra produtos dos EUA.

>> Forbes revela laços financeiros do secretário de Comércio dos EUA com China