'Consenso' entre EUA e China para reduzir déficit comercial americano

Estados Unidos e China alcançaram um acordo para reduzir "de maneira significativa" o déficit comercial americano, anunciaram neste sábado (19) os dois países em um comunicado conjunto.

"Houve um consenso sobre o fato de tomar medidas para reduzir de maneira significativa o déficit dos Estados Unidos na troca de mercadorias com a China", escreveram as partes, reunidas esta semana em Washington para negociações.

O comunicado não adiantou cifras, embora a Casa Branca exija uma redução de 200 bilhões de dólares de seu déficit com o gigante asiático, que no ano passado os Estados Unidos chegaram a 375 bilhões de dólares.

"A fim de satisfazer a crescente demanda de consumo da população chinesa e a necessidade de um desenvolvimento econômico de alta qualidade, a China vai aumentar consideravelmente suas compras de bens e serviços dos Estados Unidos. Isso apoiará o crescimento e o emprego nos Estados Unidos", acrescentou.

Os negociadores dos Estados Unidos e da China também acordaram "um aumento importante" das exportações americanas no setor agrícola e no setor de energia.

Os dois países, muito ligados no plano comercial e financeiro, iniciaram há duas semanas diálogos delicados para tentar encontrar uma solução a sua disputa comercial após meses de tensão, medidas e ameaças de represálias comerciais por parte dos dois países, para evitar uma guerra comercial de consequências imprevisíveis.

Uma delegação de alto nível, liderada pelo secretário do Tesouro Steven Mnuchin, esteve na China há duas semanas. Depois, uma delegação chinesa comandada pelo vice-primeiro-ministro, Liu He, próximo ao presidente chinês, havia acompanhado esta semana as negociações, desta vez na capital americana.

As discussões aconteceram ao final de um período de consultas sobre novas sanções dos Estados Unidos contra as importações chinesas.