Governo venezuelano nega compra de votos e chama Santos de mentiroso

O governo da Venezuela afirmou nesta sexta-feira que são mentirosas as declarações do presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, de que Caracas está pagando cidadãos colombianos para votar em Nicolás Maduro nas eleições do próximo domingo.

"Cada vez que o senhor Santos diz uma barbaridade ou uma mentira é para chamar atenção, mas nem os candidatos que estão participando da eleição (presidencial de 27 de maio) na Colômbia lhe dão atenção", disse Jorge Rodríguez, chefe da campanha de Maduro.

"Este senhor vai de provocação em provocação. Já podemos lhe dizer adeus, que parta bem, já que ele é passado (...), deixa de ser presidente e volta à jarro chinês", disse Rodríguez sobre Santos, cujo mandato termina no dia 7 de agosto.

Na véspera, Santos declarou que "por fontes de inteligência confiáveis, temos conhecimento de um plano do regime de Maduro, iniciado no final do ano passado, para registrar e transportar cidadãos colombianos para que votem no próximo domingo, 20 de maio".

Santos destacou que "manobras" como esta confirmam sua decisão de não reconhecer os resultados das eleições presidenciais de domingo.

Maduro planeja se reeleger no domingo na eleição antecipada convocada pela Assembleia Nacional Constituinte, que Colômbia e muitos outros países consideram ilegítima.

As relações entre Venezuela e Colômbia estão se deteriorando. Santos qualifica de "ditadura" o governo de Maduro, e o culpa pelo êxodo de milhares de venezuelanos em direção à Colômbia.

Cerca de 762 mil venezuelanos migraram para a Colômbia nos últimos dois anos, dos quais quase 518 mil pretendem ficar, segundo um boletim atualizado do governo.

avs/axm/lr