Contagem regressiva para o casamento de Harry e Meghan Markle

A cidade inglesa de Windsor se preparava nesta sexta-feira para o casamento de sábado entre o príncipe Harry e a americana Meghan Markle, marcado pelo anúncio de que o príncipe Charles será o responsável por acompanhar a noiva ao altar.

"O príncipe de Gales tem o prazer de receber desta maneira a senhorita Markle na família real", afirmou o Palácio de Kesington em um comunicado. Na quinta-feira, a atriz americana confirmou que seu pai, Thomas Markle, não compareceria à cerimônia de casamento por problemas de saúde.

O comunicado informa que a noiva fez o pedido ao sogro.

"A senhorita Meghan Markle pediu a Sua Alteza Real o príncipe de Gales, que a acompanhasse ao altar da igreja de São Jorge, no castelo de Windsor", afirma o texto.

Deste modo foi revelada uma das grandes incógnitas da cerimônia, depois das especulações de que a mãe da noiva, Doria Ragland, seria a responsável por acompanhar a filha até o altar.

- Windsor, uma fortaleza -

A especulação sobre a presença ou não de Thomas Markle, 73 anos, que mora no México, foi precedida pelo escândalo das fotos que aceitou encenar sobre os preparativos para o casamento, apesar de ter reclamado do assédio da imprensa.

"Acredito que deveria ser a mãe", disse Peggy Desmond, americana de 49 anos e uma das muitas pessoas já acampadas em Windsor para observar a passagem da carruagem com os noivos após o casamento.

A cidade de 30.000 habitantes às margens do Tâmisa, a uma hora de Londres, virou uma fortaleza nesta sexta-feira.

Centenas de policiais fortemente armados inspecionavam cada espaço da cidade, que teve o centro fechado ao trânsito, ante a chegada prevista de 100.000 pessoas para o grande dia.

"Há uma ampla gama de medidas de segurança visíveis em andamento", afirmou um porta-voz da polícia à AFP.

No sábado, as estações de trens permanecerão em alerta máximo, os veículos serão inspecionados e os espectadores serão revistados.

Além disso, as forças de segurança estabeleceram barreiras em toda a cidade para evitar um atentado com um veículo como os ocorridos em Nice, Berlim ou Barcelona.

- Festas em todo Reino Unido -

Os noivos pareciam relaxados nas últimas fotos divulgadas pela imprensa, quando saíram, sorridentes, de carro do ensaio geral da cerimônia na quinta-feira.

Claire Ptak, uma confeiteira americana que mora em Londres, começou a preparar o grande bolo do casamento, que exigirá 200 limões italianos da costa de Amalfi, 500 ovos do condado inglês de Suffolk, 20 quilos de manteiga, 20 de farinha, 20 de açúcar e 10 garrafas de um licor de sabugueiro, informou o Palácio de Kensington.

O casamento tem um significado particular porque representa a entrada da primeira mulata para a família real britânica na era moderna. O evento despertou um grande interesse e a sensação de pertencimento entre a grande comunidade afro-caribenha do Reino Unido.

O matrimônio será comemorado em todo o país com festas nas ruas e nos pubs. Os republicanos britânicos responderão com seu congresso anual em Londres.

O sábado será um grande dia porque, poucas horas depois do casamento - previsto para começar às 12H00 (8H00 de Brasília)) e durar uma hora- Manchester United e Chelsea disputarão em Londres a final da Copa da Inglaterra, um dos principais eventos esportivos do país.