Puigdemont anuncia novo candidato à presidência da Catalunha

Quim Torra precisa tomar posse até 22 de maio

O presidente deposto da Catalunha, Carles Puigdemont, escolheu Quim Torra como candidato a governar a região, visto que ele não pode ser empossado a distância.

A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (10), de Berlim, na Alemanha, onde Puigdemont aguarda uma decisão da Justiça sobre sua extradição para a Espanha.

O ex-mandatário catalão aproveitou a mensagem em vídeo para acusar o governo espanhol de "não respeitar" sua candidatura e reivindicar "legitimidade" para ocupar a presidência da comunidade autônoma.

No entanto, Puigdemont apontou que a indicação de Torra é algo "provisório" e ocorre devido às condições "impostas pelo Estado" - como a prisão de outros líderes pró-independência. "De maneira alguma podemos falar em algo definitivo", advertiu.

Torra, nascido em 1962, é advogado, escritor e próximo a Puigdemont. Ele, que é filiado ao movimento independentista "Juntos pela Catalunha", foi presidente da entidade Òmnium Cultural, responsável por convocar manifestações pró-secessão.

Com sua indicação, a Catalunha pode encerrar um ciclo de quatro meses de tentativas de empossar um novo presidente. Desde que foi deposto por "rebelião", Puigdemont vive em exílio e não pode retornar à Espanha devido a um mandado de prisão.

Agora a candidatura de Torra deverá ser votada pelo Parlamento catalão até 22 de maio. Caso contrário, Madri poderá convocar novas eleições na região.