Quinze mortos, incluindo 8 iranianos, em suposto ataque israelense na Síria

Um bombardeio noturno atribuído a Israel em uma área próxima a Damasco matou 15 combatentes estrangeiros leais ao regime sírio, incluindo oito iranianos, de acordo com um balanço atualizado divulgado pela ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O ataque atingiu na terça-feira à noite um depósito de armas da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime iraniano, no setor de Kiswe, ao sul da capital, afirma o OSDH.

A agência de notícias oficial síria Sana informou mais cedo que o exército do país interceptou dois mísseis israelenses disparados contra o setor. Canais estatais exibiram imagens da área em chamas.

Quinze combatentes pró-regime estrangeiros morreram em um ataque de mísseis, incluindo oito membros da Guarda Revolucionária, afirmou o diretor do OSDH Rami Abdel Rahman, que em um primeiro momento citou as mortes de nove pessoas, sem revelar a nacionalidade.

Uma fonte médica citada pela agência Sana informou que dois civis morreram em uma estrada que liga a capital à cidade de Deraa, sul do país, em uma explosão ligada à "agressão israelense".

Desde o início da guerra na Síria em 2011, Israel realizo vários ataques contra o regime de Bashar al-Assad ou seus aliados, o Hezbollah libanês e Irã.

rh/ah/jmm/nbz/hj/acc.zm/fp