Pence pede para Ortega permitir entrada da CIDH na Nicarágua

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, pediu nesta segunda-feira (7) ao governo de Daniel Ortega na Nicarágua que permita a entrada da Comissão Interamericana de Direitos Humanos no país centro-americano, abalado por manifestações anti-governo que já deixaram 47 mortos.

Em um discurso na Organização dos Estados Americanos (OEA), Pence expressou a forte condenação dos Estados Unidos à "repressiva" e "letal" resposta do governo de Ortega aos protestos do povo nicaraguense e suas demandas de uma reforma democrática no país.

"Os Estados Unidos condenam essas ações brutais nos termos mais enérgicos possíveis. Pedimos ao governo de Ortega que permita que a CIDH entre na Nicarágua", disse.

"Nos unimos às nações de todo o mundo para exigir que o governo de Ortega responda às demandas do povo nicaraguense de uma reforma democrática e faça os responsáveis pela violência prestarem contas", acrescentou.

"O povo da Nicarágua merece algo melhor que o endurecimento da repressão do governo", afirmou, provocando aplausos da sede da OEA em Washington.

A CIDH, entidade autônoma da OEA, informou na quinta-feira passada que Manágua tinha rejeitado um pedido de visita ao país.

Os protestos na Nicarágua, iniciados em 18 de abril contra a anunciada reforma do sistema previdenciário, já deixaram 47 mortos e mais de 400 feridos em todo o país, segundo o Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh), organismo independente.

Numa manifestação de estudantes em Catarina, no sul da Nicarágua, neste domingo, pelo menos quatro pessoas ficaram feridas, de acordo com a Cenidh.