"Ocorreu muito bem": Maduro testa máquina chavista para eleição presidencial

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, testou neste domingo a máquina chavista em uma simulação da polêmica eleição presidencial marcada para 20 de maio.

"Ocorreu muito bem. Os relatos são muito positivos", comemorou Maduro em uma entrevista coletiva após participar da simulação na escola Simón Rodríguez, localizada no principal complexo militar de Caracas, o Forte Tiuna, que será um dos de 500 centros de votação habilitados por o poder eleitoral neste dia.

Acusado pela oposição de servir ao governo, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) convocou a simulação a fim de "brindar" os eleitores com "contato e familiarização com o sistema de votação", segundo uma mensagem divulgada pelo órgão nas redes sociais.

Maduro, que busca a reeleição, convocou seus eleitores a participarem em massa. "Que ninguém fique confiante a ache que já ganhamos. Claro que temos força para ganhar e vamos ganhar, mas temos que afinar nossa máquina para garantir os votos", disse o presidente na sexta-feira.

Ceerca de 300 pessoas fizeram fila na manhã deste domingo em um centro de votação do liceu Andrés Bello, no centro da capital venezuelana. Lá, a presidente do CNE, Tibisay Lucena, garantiu que as práticas tiveram "grande influência", mas não revelou números.

Haverá 14.500 centros no dia das eleições, para receber 20,5 milhões convocados para votar.

erc/lda/rsr/cc