Presidente palestino se desculpa por declarações consideradas antissemitas

O presidente palestino, Mahmud Abbas, desculpou-se, nesta sexta-feira (4), por declarações sobre as causas dos massacres cometidos contra judeus no passado, as quais foram consideradas antissemitas e muito criticadas.

"Se minhas declarações no Conselho Nacional Palestino ofenderam as pessoas, em particular as pessoas de confissão judaica, peço-lhes desculpas", afirmou Abbas, em um comunicado no qual reiterou que condena o Holocausto e "o antissemitismo sob todas as suas formas".

Israel, Estados Unidos, vários países europeus e a ONU criticaram Abbas duramente por sugerir que os assassinatos contra os judeus da Europa ao longo da história se deveram principalmente ao seu papel na sociedade, particularmente no setor bancário, e não tanto ao antissemitismo.

Estas declarações tocaram um ponto muito sensível em Israel. As reações foram muito fortes em um momento em que as relações entre o governo israelense e a dirigência palestina se deterioraram profundamente. A troca de ofensas à distância é muito frequente.

"Quero garantir a todos que não era minha intenção (ofendê-los) e reitero meu total respeito pela religião judaica, bem como por todas as religiões monoteístas", disse Abbas nesta sexta-feira.

jod-lal/tp/erl/acc/tt