Poetisa árabe-israelense é declarada culpada por incitação à violência

Uma corte de Israel declarou culpada nesta quinta-feira (3) a poetisa árabe-israelense Dareen Tatour por incitação à violência e "apoio a organização terrorista" em poemas publicados nas redes sociais, segundo documentos do tribunal.

De acordo com o registro de detenção, em outubro de 2015, em um momento em que uma onda de violência em Israel e nos Territórios Palestinos ganhava força, Tatour publicou um vídeo no qual recita seu poema "Resistam, minha gente, oponham resistência" acompanhado por fotografias dos confrontos entre palestinos e as forças israelenses.

O poema citado na acusação em hebraico diz (segundo a tradução em inglês publicada no site de literatura e tradição árabe ArabLit):

"Por um árabe palestino / Não cederei à 'solução pacífica'/ Nunca baixarei minhas bandeiras / Até que os expulse de minha terra / Resistir ao assalto dos colonos / E seguir a caravana dos mártires".

Segundo a acusação, em 4 de outubro Tatour citou um comunicado da Jihad Islâmica convocando a "continuar a intifada em cada canto da Cisjordânia".

A audiência da condenação está prevista a partir de 31 de maio.

Tatour, originária da localidade árabe de Reineh, perto de Nazaret, foi detida em 11 de outubro de 2015.

"Dareen Tatour foi declarada culpada por fazer o que nós escritores fazemos todos os dias: usar nossas palavras para desafiar pacificamente a justiça", denunciou em um comunicado nesta quinta-feira o grupo de escritores internacionais Pen.

scw/dv/sgf/jz/cc/mvv