Trump anuncia 'ataques de precisão' à Síria coordenados com França e GB

Em um dia de seguidas notícias negativas para sua imagem, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira (13) a realização de ataques aéreos contra alvos do regime de Bashar al Assad na Síria.

O bombardeio está acontecendo neste momento e é realizado em parceria com as Forças Armadas da França e do Reino Unido, que ao longo da última semana se juntaram desde o primeiro momento às acusações contra Assad.

A operação é uma resposta ao ataque químico ocorrido no último sábado (7) em Duma, na região de Ghouta Oriental, e que é atribuído pelos rebeldes a Damasco. O governo sírio e a Rússia, sua principal aliada, negam o uso de armas tóxicas.

A Casa Branca havia comentado anteriormente que os países discutiam acerca do bombardeio. Trump fez os arranjos, primeiramente, por telefone, com o francês Emmanuel Macron e com a premiê Theresa May. 

Em resposta, um porta-voz de Downing Street confirmou que Trump e May concordaram em "seguir colaborando estreitamente em uma resposta internacional" e "sobre a necessidade de dissuadir o futuro uso de armas químicas por parte do regime" sírio.

O suposto ataque químico contra o enclave rebelde de Duma, na região de Damasco, deixou 75 mortos, segundo o governo britânico.