'Não podemos conviver' com déficit comercial com a China, diz Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que o déficit comercial do país com a China "não é algo com o qual podemos conviver".

Durante reunião com líderes bálticos na Casa Branca, Trump foi questionado sobre a possibilidade de uma guerra comercial entre Washington e Pequim. De acordo com o republicano, os EUA estão negociando questões comerciais com o governo chinês. "Pretendemos nos dar bem com a China, mas temos que fazer algo muito substancial sobre o comércio", disse.

Os comentários de Trump vêm na esteira da imposição de tarifas a 128 produtos americanos pela China, em retaliação à decisão do governo americano de impor barreiras às importações de aço e alumínio de Pequim. Nesta semana, o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, deve dar prosseguimento às tensões comerciais entre os dois países, ao anunciar os produtos chineses que serão alvo de tarifas de Washington, que alega "roubo de propriedade intelectual".

Fronteira

Na Casa Branca, Trump também fez comentários sobre a segurança na fronteira entre EUA e México. De acordo com ele, os militares irão proteger a fronteira sul "até que possamos ter um muro e segurança adequada". Durante a reunião, o presidente americano também comentou que "não podemos ter pessoas vindo para o nosso país ilegalmente, desaparecendo e, a propósito, nunca comparecendo ao tribunal". Ele disse,a inda, que os EUA nunca enviaram as Forças Armadas para a fronteira sul, apesar do ex-presidente Barack Obama ter enviado tropas da Guarda Nacional para o local anteriormente.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais