Ex-assessor de Trump teria encontrado Assange em 2016

Informação foi dada pelo procurador Mueller do 'caso Rússia'

O procurador especial que está coordenando as investigações sobre a interferência da Rússia nas eleições de 2016, Robert Mueller, afirmou nesta terça-feira (3) que está investigando um encontro entre o ex-conselheiro de Donald Trump, Roger Stone, com o criador do WikiLeaks, Julian Assange.

A informação foi veiculada pelo jornal "The Wall Street Journal", e segundo a publicação, o gerente da campanha presidencial de Trump e Assange teriam se reunido em um jantar em agosto de 2016.

O encontro aconteceu no mesmo ano em que o WikiLeaks publicou milhares de documentos prejudicando a candidata democrata Hillary Clinton. As autoridades que estão cuidando do caso desconfiam que estes documentos foram fornecidos por agentes russos.

De acordo com a publicação, no dia 4 de agosto de 2016, Stone enviou um email ao ex-assessor da campanha de Trump, Sam Nunberg, contando sobre o jantar.

Assange está atualmente em Londres, no Reino Unido. O fundador do WikiLeaks vive em asilo diplomático desde 2012, quando se refugiou na embaixada equatoriana no território britânico para escapar de uma extradição à Suécia, onde é acusado de abuso sexual.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais