Moscou diz que continuará a apoiar regime sírio em Ghuta

A Rússia indicou, nesta quinta-feira (15), que continuará a "apoiar" as forças de Damasco em sua ofensiva no reduto rebelde de Ghuta Oriental na Síria, confirmando o apoio militar russo nessa operação mortal.

"Continuaremos a combater os terroristas. Nós os derrotaremos, venceremos em Ghuta Oriental, onde o Exército sírio está atualmente conduzindo uma operação com nosso apoio", declarou o ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, durante um fórum em Moscou.

Desde a decisão do presidente Vladimir Putin no final de 2017 de retirar parcialmente o contingente militar russo na Síria, Moscou fez pouca menção ao seu envolvimento ao lado das forças de seu aliado Bashar al-Assad.

O Exército sírio entrou na quarta-feira à noite numa cidade-chave do enclave de Ghuta Oriental, contra o qual lançou uma ofensiva mortal em 18 de fevereiro.

Mais de 1.220 civis foram mortos em Ghuta desde 18 de fevereiro, de acordo com um último balanço.

As Nações Unidas afirmaram na segunda-feira que mais de mil pessoas deveriam ser evacuadas urgentemente por "razões médicas" deste último reduto rebelde nos arredores da capital síria.