Mulher que matou namorado em vídeo de Youtube é condenada a 6 meses de prisão

Um juiz do estado de Minnesota, nos Estados Unidos, condenou nesta quarta-feira uma youtuber a seis meses de prisão por matar seu namorado com um tiro quando gravavam um vídeo que pretendiam que se tornasse viral na rede.

Monalisa Perez, de 20 anos e mãe de dois filhos, acreditou que seu namorado, Pedro Ruiz, estaria protegido por um livro quando disparou nele à queima-roupa, em junho passado.

Perez chegou a um acordo, em dezembro, com os promotores para se declarar culpada de homicídio involuntário. 

O juiz Jeffrey Remick manteve as condições do acordo em sua sentença e permitiu que Perez cumpra três meses na prisão em um período de três anos, enquanto os outros três serão em prisão domiciliar, além de estar submetida a 10 anos de liberdade condicional.

Perez e Ruiz estavam gravando para seu canal de Youtube, no qual faziam pegadinhas e contavam seu dia a dia. 

No vídeo, Perez dispara a uma distância de cerca de 30 centímetros com uma poderosa pistola Desert Eagle de calibre 50 enquanto Ruiz segurava um livro de 3,8 centímetros de espessura em frente ao peito.

Perez aparece nas imagens com outro livro com um buraco de bala apenas em um dos lados, como prova de que seu plano funcionaria, disse a polícia.

"Pedro e eu vamos gravar provavelmente um dos vídeos mais perigosos que já foram feitos", escreveu a jovem naquele mesmo dia no Twitter. "Ideia DELE, não MINHA".

Perez, então grávida do segundo filho do casal, apertou o gatilho, a bala atravessou o livro e o jovem morreu imediatamente pelo impacto do projetil em seu peito.

Familiares e amigos disseram naquele momento que Ruiz vinha falando há bastante tempo de realizar esse desafio. Sua tia disse a um canal de TV local que havia tentado dissuadi-lo, mas que ele respondeu: "Queremos mais espectadores". 

O canal do YouTube do casal ainda está ativo e seus vídeos acumulam 5,3 milhões de visitas.

Como parte do acordo com a promotoria, Perez não poderá lucrar com o vídeo nem possuir armas.