Na Espanha, trens param no 8 de Março pelos direitos das mulheres

O transporte ferroviário funcionará com capacidade reduzida na Espanha, nesta quinta-feira (8), em razão da paralisação em defesa do direito das mulheres lançada pelos principais sindicatos espanhóis desse setor - anunciou a companhia nacional Renfe nesta quarta-feira (7).

No Dia Internacional da Mulher, 200 de um total de 568 trens não circularão nos trajetos interurbanos, de acordo com uma resolução do Ministério do Fomento e dos Transportes, ao qual a Renfe está atrelada, publicada hoje no site institucional. O texto informa ainda que cerca de 65% do serviço estará garantido.

Em relação aos trens em alta velocidade (TGV), ou àqueles que cobrem grandes trajetos, 105 estarão inativos, o que significa um funcionamento de 72% do volume total.

No final de fevereiro, dez sindicatos lançaram a convocação para essa paralisação de 24 horas. Alguns coletivos feministas também convidaram as mulheres a não consumirem e a se negarem a fazer tarefas domésticas.

As duas principais centrais - Comissões Operárias (CCOO) e União Geral dos Trabalhadores (UGT), que não aderiram em um primeiro momento - decidiram convocar uma paralisação de duas horas desse dia de trabalho.

Para as CCOO, trata-se de denunciar o "negacionismo sobre as desigualdades" entre homens e mulheres, que se agravaram ainda mais com a dura crise financeira vivida pelo país entre 2008 e 2014.

Uma grande manifestação está prevista para acontecer nas principais capitais do país a partir das 19h (15h, horário de Brasília).

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais