Os exilados russos que morreram de forma suspeita no Reino Unido

O suposto envenenamento na cidade inglesa de Salisbury do ex-espião russo Sergei Skripal, que segue hospitalizado em estado grave nesta terça-feira (6), recorda os vários exilados russos mortos no Reino Unido nos últimos anos.

Do também ex-espião Alexander Litvinenko, aos oligarcas Boris Berezovski e Alexander Perepilitchny, estes foram os casos mais notáveis:

- Alexander Litvinenko, crítico do presidente Vladimir Putin, ex-agente do FSB (serviço secreto russo), morreu em 23 de novembro de 2006 após três semanas de agonia ao ser envenenando com polônio-210, uma substância altamente radioativa.

A investigação britânica chegou à conclusão, dez anos depois, da responsabilidade do Estado russo e da culpa de dois executores, os russos Andrei Lugovoi e Dimitri Kovtun, que teriam introduzido a substância venenosa em um chá durante um encontro em um hotel de Londres. A Rússia nega qualquer responsabilidade.

- O georgiano Badri Patarkatsishvili morreu de repente em 2008, aos 52 anos, em sua casa, no sul de Londres. Primeiro aliado, depois inimigo de Putin. Acredita-se que sua morte possa estar relacionada às lutas de poder em sua Geórgia natal. Embora primeiramente sua morte tenha sido atribuída a "causas inexplicadas", depois falou-se de uma patologia cardíaca.

- O moderado líder checheno Akhmed Zaraev, refugiado em Londres, escapou em abril de 2012 de um plano para assassiná-lo, frustrado pelo serviço secreto britânico (MI5).

- O milionário russo Alexander Perepilitchny, de 44 anos, foi encontrado morto em novembro de 2012 em sua propriedade em Surrey, perto de Londres. A polícia primeiro indicou uma morte natural, mas testes adicionais reclamados pela companhia de seguros da vítima revelaram a presença em seu corpo de uma molécula relacionada à gelsemia, uma planta venenosa.

De acordo com a imprensa britânica, este empresário foi uma testemunha-chave no caso Magnitski, o advogado do fundo de investimento Hermitage Capital que morreu em 2009 em uma prisão de Moscou, depois de denunciar uma maquinação do poder russo.

- O ex-oligarca russo Boris Berezovski, que se tornou um crítico feroz do Kremlin quando foi para o exílio, foi encontrado enforcado em março de 2013 em sua residência perto de Londres. Considerada "inexplicável" pela polícia britânica, sua morte causou dúvidas, embora seu entorno tenha admitido que ele estava deprimido nos últimos dias.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais