Força curdo-árabe mobiliza 1.700 combatentes em Afrin

Cerca de 1.700 integrantes da coalizão curdo-árabe que combate o grupo Estado Islâmico (EI) no nordeste da Síria serão mobilizados em Afrin, enclave curdo ao noroeste que tem sido alvo de uma ofensiva turca desde janeiro, anunciaram nesta terça-feira as Forças Democráticas Sírias (FDS).

"Tomamos a difícil decisão de retirar os combatentes do subúrbio de Deir Ezzor e das frentes anti-EI para movê-los em Afrin", indicou à AFP Abu Omar al-Idlebi, responsável militar das FDS, apoiadas pelos Estados Unidos, em uma entrevista coletiva em Raqa.

"Nosso povo em Afrin é nossa prioridade e sua proteção é mais importante do que as decisões tomadas pela coalizão internacional", aliada das FDS na guerra contra o Estado Islâmico, acrescentou.

Idlebi falou com a AFP em um estádio de futebol em Raqa, que as FDS recuperaram do EI em outubro com a ajuda da coalizão.

Ancara e rebeldes sírios aliados lançaram sua ofensiva contra as Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) em Afrin em 20 de janeiro e desde então recuperaram uma faixa ao longo da fronteira entre o enclave e o território turco.