EUA criticam vídeo de ataque do Estado Islâmico no Níger

Um vídeo aparentemente feito pela câmera do capacete de um dos soldados americanos assassinados em uma emboscada do grupo Estado Islâmico (EI) no Níger demonstra a depravação dos extremistas, afirmou o Pentágono nesta segunda-feira (5) depois que o EI postou as imagens.

O Departamento de Defesa "está ciente das supostas fotos e vídeos de propaganda do EI do ataque terrorista de 4 de outubro de 2017 no Níger. A publicação desses materiais demonstra a depravação do inimigo contra o qual estamos lutando", sustentou o Pentágono em comunicado.

O vídeo de nove minutos inclui uma compilação de imagens fixas e de vídeo, algumas delas do EI e alguns outros americanos.

O vídeo mostra o que parece ser o ataque em si, que aconteceu quando uma unidade de 12 soldados das forças especiais americanas e 30 militares nigerinos retornavam da aldeia de Tongo Tongo, perto da fronteira com o Mali.

Foram atacados por um grupo de cerca de 50 combatentes do EI equipados com armas pequenas, granadas e caminhões montados com armas de fogo.

No vídeo, acompanhado de canções islâmicas, são mostradas imagens explícitas do ataque e o soldado que usa a câmera sendo abatido a tiros.