Em clima de incertezas, italianos vão às urnas neste domingo

As seções eleitorais de todas as cidades da Itália foram abertas às 7h (horário local) deste domingo (4) para que cerca de 50 milhões de cidadãos possam votar nas eleições legislativas do país, que formarão um novo Parlamento e governo. 

Ao todo, foram convocados 46,6 milhões de eleitores italianos para a Câmara dos Deputados (sendo 22 milhões de homens e 24 milhões de mulheres), e 42,8 milhões para o Senado (20 milhões de homens e 22 milhões de mulheres). Serão eleitos 618 deputados, 309 senadores e 18 deputados estrangeiros. 

As urnas vão ser encerradas às 23h (horário local). Logo em seguida, os votos começarão a ser apurados. No início do pleito já foram registrados protestos por parte de alguns cidadãos de Palermo após ficarem mais de 2h30 esperando a abertura de algumas mesas de votação, que estavam atrasadas para a distribuição de novas cédulas - pouco menos de 200 mil - que precisaram ser reimpressas ontem devido a um erro. 

Em Roma, alguns cartões também apresentaram alguns nomes de candidatos à Câmara e ao Senado errados na seção 2167, da via Micheli 29. "No dia mais importante de uma democracia, a das eleições, há atrasos e erros inaceitáveis, o que espero não desencorajar a participação dos cidadãos", comentou o presidente do Senado italiano, Pietro Grasso.

O presidente da República, Sergio Mattarella, registrou seu voto pouco depois das 8h30, na seção 535, da escola Giovanni XXIII, no bairro Libertà, em Palermo. Após a votação, o chefe de Estado da Itália saiu da sala esquecendo de retirar o documento de identidade, que foi entregue à sua segurança.

O primeiro-ministro, Paolo Gentiloni, por sua vez, votou em Roma, na via Daniele Manin, aproximadamente às 10h da manhã. Já o secretário do Partido Democrático, o candidato Matteo Renzi, computou seu voto em Florença, acompanhado de sua esposa. As cédulas dos eleitores do exterior já estão na Itália, confirmou o Ministério das Relações Exteriores do país, que encaminhará os votos ao Tribunal de Recurso de Roma para a contagem dos cartões.

Neste domingo (4), as regiões de Lazio e da Lombardia, que estão entre as mais ricas da Itália, também decidem suas eleições locais.