Nigéria admite que há 110 jovens desaparecidas após ataque

Grupo Boko Haram invadiu uma escola em Yobe há uma semana

O ministro da Comunicação e da Cultura na Nigéria, Alhaji Lai Mohammed, informou nesta segunda-feira (26) que são 110 as meninas que ainda estão desaparecidas desde o ataque do grupo terrorista islâmico Boko Haram a uma escola em Dapchi, em 19 de fevereiro.

Em um primeiro momento, as autoridades pensaram que se tratavam de 50 vítimas. Depois, esse número foi elevado para 94, mas cerca de 48 meninas foram encontradas. Hoje, novamente, o governo atualizou para 110 o balanço de desaparecidas.

"As forças de segurança não estão deixando passar nem uma pedrinha nas operações de busca pelas meninas", garantiu o ministro. Membros do grupo Boko Haram invadiram a escola Girls Science Secondary School, no vilarejo de Dapach, em Yobe, no dia 19 de fevereiro.

Familiares denunciaram à imprensa que muitas estudantes estavam desaparecidas desde o atentado, levantando a suspeita de que poderia ser um novo caso de sequestro. Há quatro anos, o Boko Haram sequestrou 270 estudantes da cidade de Chibok, em um caso que gerou comoção mundial.