Ex-presidente da Geórgia é condenado a 3 anos de prisão

Mikheil Saakashvili foi julgado em contumácia

O ex-presidente da Geórgia Mikheil Saakashvili foi condenado nesta sexta-feira (5) a três anos de prisão por "abuso de poder" ao perdoar quatro policiais sentenciados pelo homicídio de um banqueiro.

Saakashvili, que presidiu o país entre 2004 e 2013, foi julgado em contumácia, ou seja, quando o réu se recusa a comparecer ao tribunal. Após deixar o poder, se mudou para a Ucrânia, onde foi nomeado governador da região de Odessa, cargo do qual se demitiu em 2016.

Desde então, passou a criticar duramente o presidente Petro Poroshenko, que revogou sua cidadania ucraniana - de fato, Saakashvili é hoje um apátrida, já que também renunciou à nacionalidade georgiana.

Apesar disso, ele segue vivendo na Ucrânia, onde liderou protestos contra o governo.