Embaixador do Equador na ONU renuncia ao posto por divergências com presidente

O embaixador do Equador nas Nações Unidas, Guillaume Long, renunciou nesta quinta-feira por diferenças com o presidente de seu país, Lenin Moreno.

"Eu me recuso a ser cúmplice do autoritarismo perigoso", argumentou ele após sua renúncia. O diplomata publicou uma carta em que critica Moreno por querer "enterrar" a Revolução Cidadã realizada pelo ex-presidente Rafael Correa.

Uma das diferenças que, de acordo com Long, precipitou sua renúncia foi a consulta e o referendo convocado pelo presidente Moreno, que, entre outros pontos, propõe a eliminação da reeleição indefinida, segundo o jornal El Comercio.

Para o ex-embaixador, as modificações propostas por Moreno em seu plano de consulta são uma "deslealdade" ao projeto político que apoiou sua candidatura para as eleições presidenciais, como o sucessor de Correa:

"A história não o absolve", disse na carta de quatro páginas publicada na sua conta Twiter.

Antes de servir como embaixador do Equador, Long foi ministro das Relações Exteriores do país, posto que ocupou durante o governo de Correa.

>> Sputnik