Nigéria liberta mais uma jovem raptada pelo Boko Haram

A Nigéria anunciou nesta quinta-feira (4) a libertação de mais uma das quase 300 estudantes sequestradas pelo grupo fundamentalista islâmico Boko Haram em abril de 2014.

Em um comunicado, o oficial militar Onyema Nwachukwu disse que Salomi Pogu foi resgatada perto do vilarejo de Pulka, no estado de Borno, de maioria muçulmana e que serve de base para as operações da milícia terrorista.

Com isso, chega a 86 o número de jovens libertadas das mãos do grupo. Em abril de 2014, o Boko Haram sequestrou 276 meninas do dormitório de uma escola em Chibok. Durante o transporte, 57 delas conseguiram escapar.

Em maio de 2017, 82 jovens foram soltas após negociações entre o governo e a milícia, mediadas pela Cruz Vermelha Internacional e pela Suíça. Em troca, os terroristas exigiram a soltura de militantes presos. Outras vítimas conseguiram escapar por conta própria nos últimos anos.

O sequestro de Chibok provocou comoção mundial e deu origem à campanha "Bring Back Our Girls" ("Tragam nossas garotas de volta", em tradução livre), promovida até pela ex-primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama.

O paradeiro de mais de 100 meninas sequestradas continua desconhecido. O que se sabe é que algumas foram forçadas a se casar e ter filhos com jihadistas, enquanto outras podem ter sido usadas em atentados suicidas na Nigéria.

Boko Haram significa "a educação ocidental é proibida", e o grupo luta para implantar um regime fundamentalista no norte da Nigéria, baseado na "sharia", a lei islâmica. Desde 2009, a milícia já matou cerca de 20 mil pessoas, mas vem sofrendo seguidas derrotas militares nos últimos anos.