Especialista: se EUA atacarem a Coreia do Norte o resultado será apocalíptico

É improvável que os EUA ataquem a Coreia do Norte, porque se o fizerem, o conflito afetará dramaticamente a Coreia do Sul, onde um verdadeiro "apocalipse" poderá ser desencadeado, disse o ex-chefe do departamento de acordos internacionais do ministério da Defesa da Rússia, tenente-general reformado, Yevgueni Buzhinski.

Na quarta-feira, o britânico The Telegraph informou, citando fontes militares dos EUA, que os Estados Unidos estavam elaborando um plano para atacar a Coreia do Norte, se os canais diplomáticos não produzissem os resultados desejados.

De acordo com Buzhinski, se os EUA "atacarem, a Coreia do Sul será destruída em primeiro lugar". As consequências de um conflito seriam aterradoras. "Considerando a quantidade de reatores nucleares localizados na Coreia do Sul, um apocalipse pode ocorrer lá", disse o militar. Por isso ele duvida de uma intervenção norte-americana na península.

O tenente-geral acredita que os Estados Unidos estão elaborando planos para conter o programa nuclear da Coreia do Norte, "mas não seriam loucos o suficiente para realizar ataques".

De acordo a matéria do The Telegraph, nos últimos meses a Casa Branca intensificou consideravelmente os preparativos para implementar uma operação militar na península coreana.

Uma das opções consideradas seria a destruição das plataformas de lançamento de mísseis balísticos antes que Pyongyang realize um novo teste. Os depósitos de armas do país poderiam ser um outro alvo prioritário. "O Pentágono está estudando as opções que nos permitam golpear os norte-coreanos no nariz e mostrar para eles que não estamos brincando", disse uma das fontes da publicação inglesa.