Itália pode perder 40 bi de euros de fundos europeus em 2020

Orçamento plurianual da UE será analisado nos próximos meses

A Itália arrisca perder entre 12 bilhões e 42 bilhões de euros em fundos estruturais da União Europeia a partir de 2020.

É o que emerge de documentos de trabalho preparados pela Comissão Europeia, poder Executivo do bloco, para os debates sobre seu próximo orçamento plurianual.

Nesses papéis, são delineados alguns cenários, sendo que no pior deles a Itália deixaria de receber fundos ligados a políticas de coesão, perdendo assim cerca de 42 bilhões de euros, número referente ao valor que será desembolsado entre 2014 e 2020.

No ano passado, ainda sob o governo de Matteo Renzi, a Itália havia ameaçado vetar o próximo orçamento plurianual da UE por conta da recusa de alguns Estados-membros - principalmente Hungria, Eslováquia, República Tcheca e Polônia - em implantar as políticas de acolhimento de refugiados do bloco.

Contudo, o país terá eleições no primeiro semestre do ano que vem, então ainda não se sabe quem conduzirá as negociações em Bruxelas para o orçamento europeu. Os primeiros colocados nas pesquisas são o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), que defende a realização de um plebiscito sobre o euro, e o centro-esquerdista Partido Democrático (PD), liderado por Renzi.

No entanto, uma eventual coalizão entre legendas de direita também têm chances de vencer, levando ao governo a eurocética e ultranacionalista Liga Norte.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais