Itália ordena prisão de 5 tunisianos suspeitos de terrorismo

Um dos jovens já foi expulso da Itália em 2016

A Itália ordenou nesta quinta-feira (16) a prisão preventiva de cinco jovens tunisianos suspeitos de terrorismo internacional e ligação com o grupo Estado Islâmico (EI). Mas os mandados não puderam ser executados devido a impedimentos processuais.

Os cinco são investigados por terem criado na Itália uma organização filiada ao EI. Três deles já estavam em prisão domiciliar por crimes de substâncias ilícitas.

Os outros dois estavam em liberdade, sendo que um deles já tinha sido expulso da Itália em 2016. A Promotoria de Turim pedira a prisão dos jovens em 17 de maio, mas um juiz rejeitou a solicitação em 21 de junho. O promotor Andrea Padalino, então, recorreu a um tribunal de Piemonte, que autorizou os mandados de detenção preventiva. A ordem, no entanto, não pode ser cumprida, pois não é executiva, já que os suspeitos ainda têm a possibilidade de recorrer à Corte de Apelação.   

A investigação contra os jovens começou após as autoridades constatarem falsas declarações de matrícula na Universidade de Turim, apresentadas pelos estrangeiros para obter visto de permanência na Itália. 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais