França diz ter provas de que Bashar Al Assad foi o responsável por ataque químico

Presidente sírio negou as acusações e disse que ataque foi responsabilidade do ocidente

Nesta quarta-feira (19), o governo da França afirmou ter provas de que o regime sírio de Bashar Al Assad utilizou de maneira consciente armas químicas no ataque que deixou ao menos 72 mortos, entre eles 20 crianças, na cidade de Khan Sheikoun.

"Temos elementos que nos permitirão demonstrar que o regime usou deliberadamente armas químicas", disse o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Marc Ayrault, em entrevista transmitida pelo canal parlamentar francês.

O ministro afirmou que as provas serão apresentadas ao mundo em poucos dias e comentou que uma investigação está sendo feita por parte de todos os serviços secretos franceses.

Assad negou que tenha envolvimento no ataque, e denunciou que o incidente foi provocado devido uma conspiração dos países do ocidente. Todas as principais potências, com exceção à Rússia, condenaram o ataque.

Os EUA responderam unilateralmente com o lançamento de quase 59 mísseis contra a base aérea síria de Shayrat, nas proximidades da cidade de Homs, que destruíram boa parte das instalações, aviões e equipamento das forças sírias nessa base.