Rússia aprova pena de 5 anos para manifestantes

Ildar Dadin foi o primeiro a ser preso conforme a nova lei

O Tribunal Constitucional da Rússia aprovou a medida que prevê a responsabilidade criminal e prisão de até cinco anos para quem participa de manifestações e marchas não autorizadas.    

Segundo as autoridades, a norma é "aceitável se for equivalente ao caráter de perigo público". Em seguida, o Tribunal rejeitou o recurso do ativista anti-Putin Ildar Dadin, que foi condenado a 3 anos de prisão por participar de várias manifestações clandestinas.    

Na prisão, Dadin denunciou ameças de tortura, humilhação e morte. Ele foi o primeiro a ser preso conforme a nova lei que proíbe protestos anti-Kremlin pacíficos repetidos.