Itália restaura obras destruídas por EI em Palmira

Dois bustos que foram expostos no Coliseu passarão por restauro

A Itália ajudará na reconstrução de obras de arte e peças arqueológicas destruídas por terroristas do grupo Estado Islâmico (EI) em Palmira, na Síria.

As autoridades sírias, através de associações locais, assinaram um acordo com as entidades italianas para que obras destruídas ou danificadas sejam recuperadas em Roma. Algumas peças já foram transportadas para a Itália, como dois bustos datados dos séculos II e III d.C, que deixaram Palmira pela primeira vez. Elas ficaram expostas no Coliseu entre outubro e dezembro do ano passado, e agora serão tratadas por especialistas italianos do Instituto Superior para a Conservação e Restauro.

O Estado Islâmico tomou o controle de Palmira em maio de 2015 e dominou a cidade até março de 2016, quando foi expulso pelo regime sírio e por militares russos. Os jihadistas conseguiram reconquistar o local após oito meses e voltaram a destruir monumentos arqueológicos.