Putin e Trump concordam em atuar juntos contra EI

Presidentes conversaram por telefone pela 1ª vez

Durante a conversa telefônica entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, os dois líderes concordaram em ter uma política conjunta para derrotar o Estado Islâmico (EI, ex-Isis).    

A conversa deste sábado (28) durou cerca de uma hora e os dois falaram sobre "a recíproca colaboração na luta contra o Isis e nos esforços para trabalhar juntos e obter mais paz no mundo, incluindo a Síria", informou a Casa Branca dizendo que a ideia partiu do Kremlin.    

Ainda de acordo com Washington, os dois "esperam, após esse telefonema, que as duas partes possam se mover rapidamente para enfrentar o terrorismo e outras questões de recíproco interesse".    

Neste domingo (30), Trump assinou um memorando para enviar aos seus generais em que pede a "identificação de uma nova coalizão de parceria na luta contra o EI", em um sinal de que os EUA poderão mudar drasticamente sua postura na luta contra o terrorismo.    

EUA e Rússia sempre estiveram em lados opostos desse confronto na questão síria, apesar de atacarem o EI no país. Os norte-americanos sempre exigiram a renúncia do presidente Bashar al-Assad, que consideram um ditador responsável pela morte de milhares de civis, enquanto os russos sempre foram os maiores aliados do mandatário sírio.