May diz que EUA e GB podem reassumir 'liderança' no mundo

Premier britânica se reúne com novo presidente dos EUA

A primeira-ministra da Grã-Bretanha, Theresa May, se encontrará com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta sexta-feira (27), e inaugurará a diplomacia do novo governo norte-americano.    

O encontro, que é marcado por interrogações, é visto como uma "oportunidade" pela líder britânica, especialmente pelo momento que marca a saída do Reino Unido da União Europeia. Para ela, o encontro pode significar uma retomada da liderança das duas nações no mundo. 

"Eu estou feliz de poder encontrar com o presidente Trump no início de sua administração. Isso é um sinal da força dessa relação especial entre o Reino Unido e os EUA. Uma relação especial da qual eu pretendo construir", disse.    

No entanto, May já precisou se explicar ao Parlamento um dia antes da viagem, iniciada nesta quinta-feira (26).    

Isso porque, em entrevista nos EUA, Trump voltou a defender o uso de afogamento em interrogatórios com suspeitos de terrorismo.    

Um de seus ministros, David Davis, disse aos parlamentares que "a Grã-Bretanha não justifica o uso de tortura em nenhuma circunstância" e ouviu de diversos políticos que a viagem de May deve levar "uma forte mensagem moral" sobre o tema.    

Brexit 

A visita de May aos EUA ocorre no mesmo dia em que seu governo apresentou à Câmara dos Comuns a proposta de lei para dar o início oficial da saída do país da União Europeia, o chamado "Brexit".    

O documento, batizado de "European Union Notification of Withdrawal Bill", é fundamental para ativar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que permite o início das negociações para a saída de um Estado-membro do bloco.    

O planejamento dos debates já recebeu críticas de diversos grupos parlamentares, que consideram o tempo muito curto para debater dada a gravidade do tema.    

Os deputados terão cinco dias para discutir a proposta de lei, sendo que a segunda leitura está marcada para a próxima terça-feira (31) e deve se estender até o dia seguinte. Este é considerado o momento crucial porque é a hora que serão votados todas as emendas apresentadas por parlamentares.    

Já a terceira leitura do projeto será debatido a partir do dia 9 de fevereiro. Após a aprovação da Câmara dos Comuns, a lei deverá ser submetida à Câmara dos Lordes.