Israel aprova construção em bairros disputados logo após saída de Obama 

A prefeitura de Jerusalém aprovou os planos de construir mais de 500 habitações para judeus nos bairros em disputa da cidade. A decisão foi tomada no primeiro dia da presidência de Donald Trump, após ter sido adiada por causa das tensões com a anterior administração de Washington.

Segundo o jornal israelense Haaretz, as autoridades esperam que a administração Trump altere a postura para com os assentamentos, que durante o mandato de Barack Obama foram chamados de obstáculo à paz na região e levaram o Conselho de Segurança da ONU a aprovar a resolução. 

"O Comitê para o Planejamento e Construções do município de Jerusalém aprovou nesta manhã edificar 566 habitações nos bairros fora da Linha Verde… A discussão do assunto fora adiada duas semanas atrás por receio de condenação por parte da administração Obama", diz-se no artigo.

Durante a campanha eleitoral, Donald Trump chamou Jerusalém de "capital do povo judeu" e prometeu transferir a embaixada de Tel-Aviv para lá.