Chancelaria russa fala sobre 'carrossel midiático' na Alemanha

A tentativa da mídia alemã de reanimar "o caso da menina Liza" foi classificada pela representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo como um "carrossel midiático".

A alta diplomata fez uma postagem na sua página do Facebook, destacando que o próximo passo poderá ser Berlim acusar a Rússia de intervir nas eleições.

"Como no caso do 'dossier Trump', propagado pela mídia norte-americana (CNN e BuzzFeed) foi precisamente a mídia alemã que reanimou o 'caso da menina Liza'. Depois Berlim oficial vai dizer que Moscou intervém nas eleições. Chama-se a isso 'carrossel midiático'", escreveu, aludindo à prática de se dizer a mesma coisa múltiplas vezes para atingir determinado resultado.

Em janeiro de 2016 a procuradoria da Alemanha começou a investigação relativamente à equipe do canal de TV russo Pervy ("Primeiro", na tradução do russo) devido a um programa sobre o incidente com uma menina de 13 anos, Liza, que desapareceu de uma família de alemães de origem russa. 

A jovem ficou desaparecida por mais de 30 horas e, após retornar, disse ter sido sequestrada e estuprada por pessoas de "aparência árabe". O caso provocou grande escândalo, sendo que há informações divulgadas pela mídia alemã de que a jovem mentiu, não foi vítima de estupro e só se escondeu em casa de um amigo por ter problemas na escola.