Obama estende sanções contra Rússia por conta do conflito ucraniano

O presidente dos EUA, Barack Obama, ordenou a extensão por mais um ano das medidas punitivas contra a Rússia, impostas em março de 2014 por conta das sua suposta interferência no conflito da Ucrânia. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (13) pelo serviço de imprensa da Casa Branca.

"As ações e políticas do governo da Federação Russa, incluindo a sua anexação suposta da Crimeia e do seu uso da força na Ucrânia, continuam a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e política externa dos Estados Unidos", declarou a Casa Branca.

"Portanto, eu determinei que é necessário continuar a declarada emergência nacional da Ordem Executiva 13660 em relação à Ucrânia", diz o comunicado de Obama.  Sanções adicionais foram estendidas em relação a seis países: Cuba, Zimbábue, Venezuela, Irã, Ucrânia e Líbia. 

Além disso, foram incluídos na lista de sancionados os "terroristas que ameaçam impedir o processo de paz no Oriente Médio".