Jovem que matou 9 negros em Charleston é condenado à morte

Dylann Roof não mostrou nenhum arrependimento por crime

O jovem norte-americano Dylann Roof, 22 anos, foi condenado à morte nesta terça-feira (10) pelo assassinato de nove negros em uma igreja da cidade de Charleston, na Carolina do Sul, em 2015.

    O supremacista branco foi considerado culpado em 33 crimes, incluindo assassinatos e crimes de ódio, pelo júri. Foram cerca de três horas até os jurados decidirem pelo veredicto.

    Durante todo o processo, Roof chamou atenção por não sentir nenhum arrependimento pelos assassinatos, dizendo que os mortos "pertenciam a uma raça inferior" e afirmou sentir apenas pelos "problemas" que levou a sua própria família.

    No entanto, ele tentou apelas para que os jurados concedessem "apenas" a prisão perpétua para ele e justificou seu crime dizendo que sentia ódio por pessoas negras.

    Em junho de 2015, Roof foi a um encontro de estudos bíblicos na Igreja Metodista Episcopal Africana Mãe Emanuel. Quando estava com os membros da instituição, abriu fogo e matou nove pessoas.

    (ANSA)