Aos 105 anos, morre repórter que noticiou início da 2ª GM

Clare Hollingworth também ajudou refugiados a fugir de conflitos

A jornalista britânica Clare Hollingworth faleceu aos 105 anos nesta terça-feira (10), em Hong Kong. Em 1939, Hollingworth, que estava há uma semana no cargo de repórter do jornal "Daily Telegraph", deu o furo do século: anunciou o início da Segunda Guerra Mundial. 

Durante uma viagem, a britânica notou o avanço dos militares alemães na fronteira da Polônia, em agosto de 1939, e então, reportou ao mundo o episódio que marcou a chegada do conflito mundial. 

Nascida em Leicester, na Inglaterra, em 1911, Hollingworth também salvou muitas vidas antes de se tornar jornalista. Isso aconteceu durante os conflitos da Primeira Guerra, quando era uma ativista política no Comitê Britânico de Refugiados, e ajudava a negociação de vistos de judeus para o Reino Unido. No entanto, essa informação foi mantida "em segredo" por muito tempo. Talvez porque muito dos vistos eram negados pelo governo britânico. 

Ela também cobriu as zonas de conflitos do Vietnã, Argélia e Oriente Médio, nos anos seguintes ao fim da Guerra. E no final de sua carreira, se estabeleceu em Hong Kong, onde não deixou a paixão pelos conflitos decorrentes às guerras, e frequentou o Foreign Correspondents Club (Clube dos Correspondentes Estrangeiros) até o final de sua vida.