Caminhão avança contra militares e mata 4 em Jerusalém

Um caminhão avançou contra um grupo de militares em Jerusalém neste domingo (8) e matou, ao menos, quatro pessoas. Outras 10 teriam ficado feridas, segundo informações da rádio militar de Israel.

As vítimas seriam três mulheres e um homem, todos na faixa dos 20 anos, atingidos enquanto estavam em um ponto de ônibus em Armon Hanatziv. A estrutura fica em um bairro judeu de Jerusalém leste, área que vive sob constante tensão com palestinos.

As Brigadas Ezzedin al Qassam, a ala militar do grupo palestino Hamas, informaram que o autor do ataque, Fadi al-Qanbar, "havia sido solto de um presídio israelense". O grupo assumiu a autoria do ataque e, através do porta-voz, Hazzem Qassem, comemorou o ato.

"As contínuas operações na Cisjordânia e Jerusalém estão provando que a Intifada de Jerusalém não é um evento isolado, mas muito mais uma decisão do povo palestino de rebelar-se enquanto não tiver sua liberdade e estiver livre da ocupação israelense", escreveu em sua página no Facebook de acordo com a mídia de Israel.

Ainda de acordo com a mídia local, o autor da ação foi morto por policiais.